Escreva para a web inclui certas especificidades para interessar o internauta, otimizar a referência natural e facilitar a navegação no site.

Escrevendo para a web: interessando o internauta

Escrevendo na internet: a diferença com o papel

La editor de web devem ser considerados com as especificidades do suporte: resoluções de tela, escolha limitada de tipologias, velocidade de conexão, peso de página, referenciamento natural… tantas restrições que não existem com suporte em papel.

De referir ainda que em média lemos 25% mais devagar no ecrã do que no papel e que esta leitura é mais cansativa.

Por fim, na WEB, a leitura não é feita palavra por palavra, mas o internauta digitaliza o conteúdo para ver se lhe interessa antes de lê-lo. Isso é chamado de lendo em F.

Diagrama de leitura em F.
Diagrama de leitura em F.

Escrevendo para a web: as técnicas

Para atender a esses requisitos, a escrita na web deve ser feita de acordo com certos princípios básicos:

  • Use a metodologia da “pirâmide invertida”: do essencial ao detalhe, do resumo ao exaustivo.
  • Uma página = um assunto = um título.
  • Uma ideia = um parágrafo.
  • Escreva curto.
  • Conteúdo dividido em três partes:
    • Título + chapéu.
    • Textos.
    • Links para conteúdo relacionado à página.

Escrevendo para a web: otimizando a referência natural

Escrever para a WEB não serve apenas para fornecer informações ao internauta, é uma verdadeira alavanca de E-marketing.

O conteúdo WEB é o elemento central de qualquer boa referência natural. De fato, o volume de conteúdo é levado em consideração pelos mecanismos de pesquisa para o posicionamento de um site. Mas ainda mais do que o volume, é a qualidade desse conteúdo que conta. Assim, “escrever para a web” assume todo o seu significado.

Os conceitos básicos de conteúdo da web de qualidade para mecanismos de pesquisa são:

  • Uma página rica em conteúdo: mínimo de 300 palavras.
  • Uma URL bem escolhida, tomando o tema da página. Por exemplo: www.monsite.fr/ecrire-pour-le-web.
  • Um bom título de página: curto e contendo a palavra-chave principal
  • Uma página estruturada: títulos e legendas (tags Hx). Esses títulos também devem conter as palavras-chave nas quais você deseja melhorar seu posicionamento.
  • Um certo número de aparições da palavra-chave e seu campo lexical, bem como o destaque dessas expressões (negrito, itálico, sublinhado).
  • Links (internos e externos) que “apontam” para sua página de conteúdo. O nome (âncora) desses links deve ser bem escolhido. Por exemplo, para esta página, não faremos um link chamado " mais » mas « consulte a página seguinte para escrever para a web ".

Escrevendo para a web: facilitando a navegação

Escrever para a web significa tornar a página o mais legível possível para o usuário da Internet. Mas também facilita a navegação no site: você precisa ajudá-lo a encontrar o que procura.

Para isso, três modos de navegação devem ser disponibilizados ao internauta:

  • O menu: o menu geral do seu site deve ser claro, estruturado e acessível a partir de qualquer página.
  • Links de rodapé: se você tiver a chance de que o internauta leia seu conteúdo, no final dele você deve dar a ele a oportunidade de consultar páginas relacionadas. Para isso, ofereça a eles links na parte inferior da página no modelo "saiba mais".
  • Links internos: quando abordamos conceitos em uma página de conteúdo, oferecemos um link ao usuário para a página que define esse conceito.

Com esses três modos de navegação você otimiza as chances de o internauta encontrar a informação que procura e, portanto, de usar seu site. Além disso, se forem bem pensados, esses links otimizarão seu SEO.